Os textos deste Blog foram extraídos dos livros de Horácio Netho: "COMANDO ESTRELINHA, Temas Transcendentais"

"VIA CORAÇÃO, Caminhos da Transformação" - "SUTRAS, Uma Vida Melhor" - "VIA TERRA, Caminhos da Luz"


quinta-feira, 22 de junho de 2017

ENERGIAS da TERRA: "DINHEIRO"





“Todas as manifestações externas deste nosso planeta material, inclusive o dinheiro, são produtos do processo criativo que vamos experimentando com os elementos existenciais dispostos em sua órbita. O dinheiro, por sua vez, é uma criação humana mental que se materializou há muito tempo e estamos administrando-o como um meio de troca de energias. Não haveria problema nenhum com a criação e manifestação do dinheiro em si, se ele fosse um meio de promover justiça, solidariedade, altruísmo e outras virtudes afins. Por vezes, isto até chega a acontecer de forma positiva para aqueles que se equilibram nesta relação. Porém, sob uma ótica mais generalizada, vemos que o poder que o homem terrestre deu à manifestação do dinheiro findou desviando-o dos caminhos evolutivos das virtudes que deveriam prevalecer. Todo excesso de energia mal utilizada, seja no plano da matéria, no plano das palavras, no plano dos pensamentos, etc... tende a ser equilibrado no plano atemporal, através de uma sabedoria superior imponderável humanamente. E o homem terrestre tem cometido bastantes excessos com o mau uso do dinheiro. Valores abstratos desarmônicos como o apego, a mesquinhez, a injustiça, a indiferença egóica e outros mais, encontraram nas experiências que envolvem o dinheiro a possibilidade de se fortalecerem dentro das relações humanas. Infelizmente, os modelos de sistemas educacionais que ainda perduram nas sociedades da Terra não têm oferecido uma orientação adequada para a justa relação com os elementos planetários, inclusive com o dinheiro. Parte do mau uso da energia do dinheiro se encontra, principalmente, nas atividades que necessitam ser experimentadas pelas almas humanas em evolução na Terra. Tendo o desapego, o altruísmo e a doação como energias primordiais que impulsionam as almas internamente, nem sempre se consegue perceber estas energias em suas relações com as atividades que envolvam o dinheiro. As almas terrestres que deveriam se fortalecer em atividades voluntárias coligadas às artes, à linguagem superior e outras afins, acabam se contaminando com iniciativas comerciais que limitam as suas próprias manifestações. Hoje, vemos o que chamamos de 'Arte' sendo comercializada, assim como também seres vivos (plantas, animais e seres humanos), num sistema incompatível para os propósitos celestiais. Para alguns, o dinheiro tem se tornado uma grande 'entidade' involutiva que chega mesmo a desestruturar todo o seu projeto de vida [...] Nunca houve problemas para grandes almas, sábios, Mestres ou Avatares em lidarem com a energia do dinheiro. Um ser que já tenha despertado a sua 'Mente Espiritual' lidará com qualquer elemento existencial da Terra, sempre sob o ponto de vista simbólico. Desta forma, alguns destes seres até se manifestam na Terra, totalmente livres das relações que envolvem o dinheiro, enquanto outros assumem a administração das energias coligadas ao dinheiro como tarefa de serviço evolutivo. O Avatar indiano Sathya Sai Baba ensinava que a 'moeda' de Deus era o amor, em sua própria brincadeira divina. Usufruindo de uma linguagem também simbólica e espiritual, Murielh quando viveu a experiência humana como Padre Pio, certa vez afirmou que ‘Nossa Senhora’ abria não somente os corações das boas almas humanas, mas também as suas carteiras para as doações altruístas. Trigueirinho, por sua vez, tem sido um grande Mestre na 'Arte' de administrar o dinheiro em comunhão coletiva, buscando beneficiá-lo para os propósitos evolutivos, não só dos seres humanos materializados na Terra, mas para toda a Hierarquia Cósmica coligada à Confederação Intergaláctica. Em verdade, qualquer valor que 'algo' possa ter, parte de uma relação da nossa consciência com o elemento existencial em questão. Cada ser humano deve realizar uma análise íntima e pessoal sobre a sua relação com o dinheiro, onde o equilíbrio com esta energia deva ser o objetivo final para esta relação econômica.”   (Do livro “COMANDO ESTRELINHA, Temas Transcendentais”, págs 61 a 64)






A HISTÓRIA das COISAS
(SISTEMAS de CONSUMO)









“De forma sutil e, às vezes, declaradamente os diversos sistemas educacionais da Terra têm educado a humanidade para uma realidade comercial preponderante. O dinheiro participa como um fundamento básico ou de produto final a ser alcançado dentro das inúmeras relações de produção existencial e cultural nas mais variadas frentes de envolvimento das relações humanas com os elementos existenciais deste planeta. Neste ínterim, alguns seres humanos estão gerando vínculos mentais fortes com o ‘pseudo-poder’ que o dinheiro passou a transmitir, especialmente neste último século de nossas experiências humanas na Terra, com o fortalecimento exacerbado dos princípios financeiros capitalistas. Em decorrência desta visão equivocada sobre a vida, inúmeras almas humanas terrestres se enfraqueceram em suas visões internas nestes últimos anos e se distanciaram inteligentemente de seus corpo inferiores (egos) promovendo desarmonias orgânicas como depressões, miopias e síndromes de pânicos, dentre outras doenças como recursos para um chamado de suas consciências externas para uma vida mais internalizada. Porém, poucos ainda compreendem estas realidades ou se interessam em se dedicar a uma vida mais sutil e internalizada, na direção dos propósitos evolutivos de suas próprias almas. Em alguns casos destas doenças citadas, o dinheiro pode entrar como um vetor de descompensação entre as inteligências das vidas internas e externas de um ser humano, sendo o agente principal que ocasiona a manifestação destas desarmonias. Há diversos valores distorcidos que margeiam as realidades do ‘pseudo-poder’ que o dinheiro pode trazer em suas possibilidades relacionais: sentido de posse, apego, visão superficial das realidades, injustiça social, dependência, etc. Com o desenvolvimento destes valores distorcidos em muitos integrantes do Reino Humano da Terra, estes seres podem sentir muitas dificuldades em acompanhar a atual transição cósmica que está em pleno andamento neste Universo, nesta Galáxia, neste Sistema Solar e neste nosso pequeno planeta Terra. A crise global pela qual estamos todos atravessando envolve todos os Reinos existenciais, assim como todas as frentes de relações da vida externa neste planeta seja social, econômica, política, ambiental, educacional, científica ou espiritual. O despreparo de muitos seres humanos para viver uma vida mais sutil e menos identificada com os elementos da criação mental externa humana neste planeta, inclusive o dinheiro, propicia a que muitos destes seres possam se desequilibrar rapidamente com os eventos que estão acontecendo e acontecerão na face externa da Terra nestes atuais tempos. Com uma observação atenta e uma pesquisa responsável, veremos que o planeta está manifestando eventos climáticos intensos sequencialmente, em intervalos de tempo cada vez mais curtos, gerando situações onde inúmeros seres humanos estão vendo seus bens materiais conquistados desaparecer rapidamente. Bens materiais estes que, por vezes, foram adquiridos em uma vida inteira de dedicação e trabalho tendo o dinheiro como o fundamento básico de se acessar tais bens. Muitos destes seres acabam ficando desequilibrados em suas vidas externas, após tais eventos, por não terem um apoio interno de suas almas para a necessidade destes eventos transitórios que ora estão acontecendo por todo o planeta. O homem inteligente de hoje deve ser um sábio e meditar silenciosamente sobre a natureza das realidades que nos acerca, inclusive o dinheiro, assim como também deve saber orar em devoção para que as energias celestiais possam amenizar harmonicamente os eventos desta nossa atual transição planetária e cósmica. Nós como Seres Humanos também estamos em crise, onde esta transição age diretamente na nossa consciência mais sutil que esteja desperta. O chamado dos céus é para caminharmos todos na mesma direção com sensibilidade e amor, em nome das Estrelas.” (Horácio Netho)





A CRISE c\ a ENERGIA MONETÁRIA
(TRIGUEIRINHO)








Nenhum comentário:

Postar um comentário